A briga pelo título mundial

Veja como está a briga pelo título mundial de 2019 e pelas vagas nas Olimpíadas de Tóquio em 2020.

0
Italo Ferreira vai para o Havaí como líder do ranking.

O resultado do MEO Rip Curl Pro Portugal deixou uma disputa do título mundial certamente emocionante para a última etapa da temporada. Principalmente entre os quatro primeiros do ranking, com o campeão podendo ser até definido na bateria final do Billabong Pipe Masters. Isso se acontecer uma segunda decisão brasileira no maior palco do esporte, como em 2015, quando Adriano de Souza derrotou Gabriel Medina já como campeão mundial daquele ano. Agora, a briga do título pode acontecer na última bateria da temporada, se ela for entre Italo Ferreira, Gabriel Medina ou Filipe Toledo.

Aí, a vitória valerá o troféu de melhor surfista do World Surf League Championship Tour 2019 para qualquer um dos três. Os brasileiros só dependem deles mesmo então, mas o título pode ser decidido antes, conforme a combinação de resultados dos cinco concorrentes durante o último desafio do ano. Italo Ferreira será o campeão se vencer o Billabong Pipe Masters e se ficar em segundo também, desde que a final não seja contra o Gabriel ou o Filipe.

Seu primeiro título também pode ser sacramentado nas semifinais, mas só se Medina não chegar na grande final e Filipe ou Jordy Smith não vencerem o campeonato. Se perder nas quartas de final, Medina ultrapassa o potiguar já nas semifinais, Filipe também se passar para a final e Jordy com a vitória em Pipeline. Se Italo ficar nas oitavas de final, Medina passa a liderar a corrida pelo tricampeonato se avançar para as quartas de final, Filipe supera o potiguar nas semifinais, Jordy se chegar na final e até Kolohe Andino fica vivo na briga com a vitória.

A disputa no topo do ranking está tão acirrada que, caso Italo Ferreira não passe da terceira fase no Billabong Pipe Masters e permaneça com os 51.070 pontos totalizados com o bi no MEO Rip Curl Pro Portugal, poderá até despencar para o quinto lugar no ranking final da temporada. Isso se Medina e Filipe conseguirem avançar nessa mesma terceira fase para as oitavas de final, com Jordy também ultrapassando o potiguar se chegar nas quartas de final e Kolohe com a classificação para a grande final.

Filipe Toledo precisa ir bem em Pipeline para conquistar a vaga nas Olimpíadas.

Vagas nas Olimpíadas – Também ficou para o Billabong Pipe Masters, a batalha pelas últimas vagas na lista dos dez surfistas que se classificam para a estreia do surfe nos Jogos Olímpicos de Veja como está a briga pelo título mundial de 2019 e pelas vagas nas Olimpíadas de Tóquio em 2020 no Japão. Apenas quatro estão 100% garantidos, o sul-africano Jordy Smith, o norte-americano Kolohe Andino, o japonês Kanoa Igarashi e o francês Jeremy Flores. Com a vitória em Portugal, Italo Ferreira passou a liderar a corrida pelas duas vagas do Brasil e Gabriel Medina está com a outra no momento, mas Filipe Toledo segue vivo na disputa.

Ainda não oficialmente, dois estão praticamente classificados, Owen Wright pela Austrália e o taitiano Michel Bourez pela França, já que os concorrentes deles estão bem abaixo no ranking. A briga pela segunda vaga australiana será entre Julian Wilson que ocupa a 11.a posição e Ryan Callinan que está na 12.a. E o onze vezes campeão mundial, Kelly Slater, ainda tenta a segunda dos Estados Unidos contra o havaiano John John Florence, que deve voltar a competir no Billabong Pipe Masters, depois da contusão sofrida no Oi Rio Pro em Saquarema.

Ranking Masculino após o MEO Rip Curl Pro Portugal já contando um descarte

1 Italo Ferreira (BRA) 51.070 pontos
2 Gabriel Medina (BRA) 50.005
3 Jordy Smith (AFR) 49.985
4 Filipe Toledo (BRA) 49.145
5 Kolohe Andino (EUA) 44.665
6 Kanoa Igarashi (JAP) 40.185
7 Owen Wright (AUS) 34.780
8 John John Florence (HAV) 33.220
9 Jeremy Flores (FRA) 32.515
10 Kelly Slater (EUA) 30.090
11 Julian Wilson (AUS) 29.525
12 Seth Moniz (HAV) 27.535
12 Ryan Callinan (AUS) 27.535
14 Wade Carmichael (AUS) 26.760
15 Michel Bourez (FRA) 25.900
16 Caio Ibelli (BRA) 24.895
17 Adrian Buchan (AUS) 24.565
18 Jack Freestone (AUS) 24.120
19 Conner Coffin (EUA) 23.345
20 Griffin Colapinto (EUA) 22.695
21 Deivid Silva (BRA) 21.920
22 Peterson Crisanto (BRA) 20.290
23 Willian Cardoso (BRA) 19.930
24 Michael Rodrigues (BRA) 19.640
25 Yago Dora (BRA) 19.365
26 Joan Duru (FRA) 17.940
27 Sebastian Zietz (HAV) 17.235
28 Ezekiel Lau (HAV) 16.875
28 Jesse Mendes (BRA) 16.875
30 Leonardo Fioravanti (ITA) 14.455
31 Soli Bailey (AUS) 13.960
32 Jadson André (BRA) 13.255
33 Ricardo Christie (NZL) 10.905
34 Frederico Morais (POR) 10.605
35 Adriano de Souza (BRA) 8.995
36 Mikey Wright (AUS) 7.570