Batalha acirrada

Etapa final do Oi Pro Junior Series em Maresias (SP) pode definir os campeões da WSL Latin America na categoria para surfistas com até 18 anos.

0
Tainá Hinckel está invicta no Oi Pro Junior Series.

O calendário recorde de etapas da WSL Latin America para a categoria de surfistas profissionais com até 18 anos de idade chega em sua reta final com dois eventos decisivos em novembro.

Das cinco provas já disputadas, quatro foram no Brasil e uma no Chile. Restam duas para definir os campeões sul-americanos de 2019 e os classificados para o Mundial Pro Junior da World Surf League, três pelo ranking masculino e duas pelo feminino.

As inscrições seguem abertas no sistema online da WSL Latin America para o Oi Pro Junior Series e para o Oi Longboard Pro, que acontecerão nos mesmos dias 08 a 10 de novembro na Praia de Maresias, em São Sebastião (SP), como para o Mancora Junior Pro Peru, dias 14 e 15 em Mancora, no norte do Peru.

Das quatro etapas realizadas no Brasil, três foram do Oi Pro Junior Series em palcos históricos do surfe no país. A abertura do novo evento patrocinado pela Oi, para a nova geração do esporte, aconteceu na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro, junto com a primeira do Oi Longboard Pro.

As outras foram só do Oi Pro Junior Series na Praia de Stella Maris, em Salvador (BA), e a terceira na Praia da Joaquina, em Florianópolis (SC). Além dessas, tiveram mais duas válidas pelo Circuito Sul-americano Pro Junior da WSL Latin America, o Héroes de Mayo Iquique Pro no Chile e o Pena Little Monster na Praia da Taíba, Ceará.

Daniel Templar lidera o ranking na categoria masculina.

O grande destaque do ano é a catarinense Tainá Hinckel, que venceu três das quatro etapas que disputou. No Oi Pro Junior Series está invicta, levando os troféus de campeã no Rio de Janeiro e em Salvador. Também ganhou o Pena Little Monster no Ceará e ficou em terceiro lugar nas semifinais do Héroes de Mayo Iquique Pro no Chile, mas não pôde participar da quinta etapa, o Oi Pro Junior Series de Florianópolis. Mesmo com um resultado a menos, Tainá lidera o ranking com folgas para repetir seu título sul-americano de 2016 e já está garantida para mais um Mundial Pro Junior da WSL, na última semana de novembro em Taiwan.

A outra vaga está sendo disputada principalmente pelas surfistas que ainda têm chances matemáticas de título sul-americano, as brasileiras Julia Duarte e Isabela Saldanha e as peruanas Daniella Rosas e Sol Aguirre, bicampeã sul-americana em 2017 e 2018. A carioca Julia Duarte tirou o segundo lugar no ranking de Sol Aguirre na etapa passada, a terceira do Oi Pro Junior Series em Santa Catarina, mesmo ficando nas semifinais. A vencedora foi a paulista Isabela Saldanha, atleta do Instituto Medina que vai competir em casa em Maresias. As peruanas Sol Aguirre e Daniella Rosas, também terão a oportunidade de decidir em casa a segunda vaga para o Mundial, no Mancora Junior Pro Peru na semana seguinte.

Batalha aberta Já na categoria masculina, a batalha tanto para o título sul-americano, como pelas três vagas para o Mundial, está completamente aberta. O surfista de Saquarema, Daniel Templar, lidera o ranking com 2.440 pontos e até o 36.o colocado na classificação atual, ainda tem chances matemáticas de ultrapassar essa marca nas duas últimas etapas. A diferença de pontos é bem pequena, principalmente entre os quatro primeiros. O catarinense Lucas Vicente está em segundo lugar com 2.310 pontos, seguido pelo potiguar Mateus Sena com 2.220 e o paulista Daniel Adisaka com 2.125.

A briga principal pelo título de melhor surfista profissional da América do Sul com até 18 anos, pode incluir ainda o peruano Raul Rios, que ocupa a quinta posição no ranking com 1.790 pontos, o catarinense Leo Casal em sexto lugar com 1.780, os paulistas Fernando Junior em sétimo com 1.775 e Eduardo Motta em oitavo com 1.720. Já a lista dos que ainda podem conseguir uma das três vagas no Mundial Pro Junior é bem mais extensa, com muitos tendo chances com os 2.000 pontos em jogo no Oi Pro Junior Series e no Mancora Junior Pro Peru.

Peruano Piccolo Clemente é um dos nomes fortes do Oi Longboard Pro.

Decisão do Longboard Na Praia de Maresias, agora em novembro, os melhores surfistas com até 18 anos do continente, voltarão a competir junto com as estrelas dos pranchões, como no primeiro Oi Pro Junior Series no Rio de Janeiro. Nesta última etapa, o Oi Longboard Pro decide os títulos sul-americanos de Longboard da WSL Latin America. Os dois eventos patrocinados pela Oi, são os únicos da modalidade na América do Sul esse ano.

A carioca Chloé Calmon, que lidera o ranking mundial da World Surf League esse ano, largou na frente na busca pelo seu igualmente primeiro título sul-americano, com vitória na Barra da Tijuca.

O peruano Piccolo Clemente, bicampeão mundial e tri sul-americano, também venceu o Oi Longboard Pro na capital carioca e ambos estão confirmados para competir nas ondas da Praia de Maresias, em São Sebastião. Não só eles, como os atuais campeões sul-americanos, o carioca Phil Rajzman e a pernambucana já tricampeã, Atalanta Batista, além de mais destaques do longboard brasileiro e de outros países da América do Sul.

Ainda existem vagas para completar o limite de participantes nas categorias masculina e feminina nas duas etapas decisivas da categoria Pro Junior, bem como para o Oi Longboard Pro.